Se você é uma pessoa que gosta de dirigir e está sempre pesquisando por novidades no mundo automobilístico, certamente já ouviu falar em motor transversal e longitudinal. A evolução tecnológica encontrada no setor automotivo fez com que várias mudanças fossem implementadas nos motores para atender às necessidades dos motoristas.

Sabemos que os motores a combustão não são somente conhecidos pelo volume de seus cilindros ou a potência que produzem. Há várias outras características que os definem e que influenciam no tipo de carro que os utilizam. Uma delas é a posição em que ele se encaixa no veículo, podendo ser um motor transversal e longitudinal, dianteira, central ou traseira.

Uma das principais diferenças, nessa peça fundamental para o funcionamento do carro, é o formato. Os veículos mais antigos tinham enormes capôs, que eram projetados para acomodar os extensos motores longitudinais. Com o passar dos anos, os carros começaram a diminuir de tamanho e peso. Com isso, as evoluções tecnológicas caminharam para a produção de motores mais leves e menores, os transversais.

Atualmente, as montadoras trabalham cada vez mais para aumentar a potência dessa peça, que é o coração do veículo, e de contrapartida, diminuir seus tamanhos drasticamente. Aqui vamos nos ater apenas ao eixo em que eles são instalados e, por isso, se você quer conhecer um pouco mais sobre a diferença entre o motor transversal e longitudinal continue lendo.

Leia também: Carros Híbridos no Brasil: modelos a venda e o que esperar

Conheça um pouco mais sobre o motor longitudinal

Quando nos referimos a um carro, pensamos sem perceber na frente dele, ou em outra parte qualquer como: lanterna traseira esquerda, lanterna dianteira direita, etc. O mesmo acontece com o motor e sua posição no carro. Um motor pode estar instalado na frente do carro, e, em casos mais raros e antigos, na traseira do veículo (como o Fusca, Kombi, etc).

Assim como outra peça qualquer, um motor também tem “frente” e “traseira”. A frente de um motor é onde se instala as polias ou onde vemos as correias que giram tais polias. Ali temos, também, o alternador, a direção hidráulica, o ar-condicionado e qualquer outro acessório que precisa girar, e, por consequência, também vai precisar de polias, correias e do motor para girá-las.

A melhor definição para a palavra “longitudinal”, que tem relação direta com automóveis, é: “que possui o mesmo sentido do comprimento de algo”. No caso de um carro, um motor longitudinal acompanha o comprimento dele, ou está no mesmo sentido do seu comprimento, em relação a sua posição dentro do compartimento do motor. Uma maneira fácil de identificar um motor longitudinal é perceber se sua frente (polias) está voltada para a mesma direção dos faróis, ou até mesmo do radiador. Isso significa que a caixa de marcha do carro vai estar debaixo da cabine e não na frente ou direita, como acontece com um motor transversal. Mas esse tipo de motor é mais comum em carros antigos, como o Opala e Maverick, além de veículos com motor a diesel, como falamos no início do texto.

Hoje em dia, a posição do motor preferida pelas montadoras é a transversal, que possibilita um maior aproveitamento do espaço interno do carro, visto que o motor vai precisar de menos espaço em seu compartimento. Basta comparar a frente dos carros antigos com os novos e entender porque os veículos de hoje são bem mais espaçosos, embora sejam menores externamente do que os “navios” de antigamente.

Conheça um pouco mais sobre o motor transversal

Ao longo dos anos, a necessidade de se produzir carros cada vez mais compactos fez com que as montadoras apostassem na montagem de motores na transversal. Com esse procedimento, economiza-se espaço na dianteira, diminuindo a frente do veículo e economizando no material de montagem.

Uma das pioneiras nesse tipo de processo foi a Fiat que, no fim dos anos 1970, fabricou o Fiat 147, para competir contra modelos como Gol, Corcel, Fusca e Monza. O pequeno motor de 4 cilindros montado na transversal deu ao carro um perfil menos alongado, mais prático e econômico. Outra vantagem do motor transversal é que, no caso de tração dianteira, as juntas homocinéticas ficam mais próximas das rodas. Isso diminui o caminho a ser percorrido pela força transmitida pelos giros do propulsor.

Imagem para ilustrar o texto sobre motor transversal e longitudinal 2

E por serem mais eficientes, motores transversais são mais silenciosos e vibram menos, garantindo maior conforto para condutor e passageiros. Por outro lado, a montagem transversal impede a adoção de motores com muitos cavalos de potência, já que esse tipo de propulsor acaba sendo maior. No entanto, o ganho em eficiência, potência e economia de combustível acaba compensando os problemas gerados.

Leia também: Filmes sobre carros: Os longas imperdíveis para quem é fã de veículos!

Assim, até mesmo montadoras fiéis aos longitudinais aderiram à nova tendência: a partir de sua linha 2008, chamada de geração 5, a Volkswagen adotou o motor transversal no Gol, o que desagradou alguns fãs. Porém, é inegável que a mudança não apenas trouxe praticidade, como possibilitou que ele continuasse firme e forte no mercado.

Agora que você já conhece um pouco mais sobre os dois dispositivos, conheça as principais diferenças entre o motor transversal e longitudinal:

Basicamente, a diferença entre o motor transversal e longitudinal está no posicionamento deles dentro do carro. O motor longitudinal é montado de forma paralela à carroceria, enquanto o longitudinal ocupa um espaço perpendicular sob o capô.

Quais são as vantagens e desvantagens entre o motor transversal e longitudinal?

O motor transversal garante mais espaço na cabine, pois tem o virabrequim diretamente alinhado e conectado às rodas, enquanto o câmbio fica acoplado em uma das extremidades. Já o motor longitudinal precisa de engrenagens em 90° para chegar até as rodas, o que pode causar pequena perda de energia ou força. Além disso, há redução da distância entre eixos e, consequente, perda de espaço interno.

Apesar dessas características, é importante ressaltar que as vantagens e desvantagens do motor transversal e longitudinal dependem da marca e do modelo de cada automóvel. Por isso, a dica mais importante é avaliar suas expectativas e verificar as compatibilidades entre as funções do carro.

Se você gostou de saber sobre as diferenças e vantagens entre o motor transversal e longitudinal, não deixe de compartilhar nosso artigo nas redes sociais. Nos vemos em breve com mais curiosidades sobre carros para vocês. Até mais!