Uma coisa é certa: o sistema de frenagem do veículo precisa estar muito bem ajustado para garantir uma direção segura. Por isso, no texto de hoje, falaremos sobre como funciona a troca de pastilhas de freio e fluidos, e como identificar o momento certo da troca. Vamos lá? 

1 – Validade do fluído de freio, fique atento!

Dependendo do tipo de fluido e indicação de fabricante do veículo, a validade do mesmo pode mudar. Em alguns casos, a validade é de 10 mil quilômetros.  Em outras situações, varia entre um e dois anos. O uso do carro também influencia na validade do fluido de freio.

2- Verifique sempre o nível do fluido de freio

É fundamental ter o hábito de verificar o nível do fluido de freio, já que mesmo levemente abaixo do nível indicado, pode ocasionar problemas de frenagem no veículo. A dica para não correr riscos é procurar um local especializado para realizar toda a substituição do sistema de fluido de freio. É importante saber que ao contrário do óleo de motor, o fluido de freio não pode ser completado até o nível indicado. É preciso realizar a troca de todo o sistema.

Leia também: 7 erros ao comprar um carro usado que você precisa evitar

3- Indicadores no painel

Assim que o sistema de frenagem verificar mudança na pressão que o pedal exerce junto aos outros elementos do sistema, ou o nível do reservatório do fluido estiver abaixo do mínimo aceitável, uma luz indicativa irá aparecer no painel do carro. Normalmente é o ponto de exclamação na cor vermelha, justamente para chamar a atenção do motorista.

4- Frenagem com dificuldades

pastilhas de freio

Ao reparar que o pedal do freio está “mais longo” em seu curso, fique atento: pode ser a hora de trocar o fluido de freio. Repare também se há perda de força (do pedal) durante o ato de pisar no freio, já que isso pode indicar baixo nível de fluido ou mesmo ausência total. Outro detalhe mais perceptível e, consequentemente mais perigoso, é quando o freio literalmente não funciona adequadamente ou demora muito para frear o veículo.

Os fluidos de freio são classificados conforme seu ponto de ebulição, conheça os disponíveis no mercado.

 

  • DOT 3

Ponto de ebulição fluido seco: 205ºC

Ponto de ebulição fluido contaminado com água: 140ºC

  • DOT 4

Ponto de ebulição fluido seco: 230ºC

Ponto de ebulição fluido contaminado com água: 155ºC

  • DOT 5 (Base de silicone)

Ponto de ebulição fluido seco: 260ºC

Ponto de ebulição fluido contaminado com água: 180ºC

  • DOT 5. 1 (Base não-silicone)

Ponto de ebulição fluido seco: 270ºC

 

Agora que você já sabe como fazer a troca do fluído de freio, conheça qual o momento certo de realizar a troca das pastilhas de freio do seu veículo.

Antes de saber o momento certo de realizar a troca, é importante saber que quando as pastilhas de freio estão desgastadas a eficácia da frenagem corre sério risco, pois elas podem não pressionar corretamente o disco. A troca das pastilhas de freio é um procedimento simples e barato e existem basicamente três maneiras de saber quando a troca deve ser feita:

1 – Fique atento ao indicador de desgaste

Nos modelos de carros mais equipados e modernos, existe um indicador de desgaste das pastilhas de freio, que informa ao motorista que a troca deve ser feita. Infelizmente são poucos os carros que vêm com essa facilidade, portanto, a maioria precisará conhecer as outras formas de descobrir quando trocar as pastilhas de freio.

2- Preste atenção aos ruídos nos pneus dianteiros

Esta maneira de saber quando trocar a pastilha de freio é a mais usual e conta com o seu sentido da audição. Você deve ficar com os ouvidos atentos a um barulho nos pneus dianteiros. As pastilhas de freio possuem um indicador de desgaste que esbarra no disco de freio e produz um ruído metálico. Se você escutar um barulho desse tipo, vá para uma oficina mecânica. As chances de serem as pastilhas de freio desgastadas são enormes, principalmente quando o carro já atingiu a rodagem de 30.000 km.

3- Quilometragem do veículo

Os números também são bons indicadores: a cada 5.000 km rodados é indicado que se faça uma revisão nas pastilhas de freio, e entre 30.000 km e 40.000 é obrigatório que as pastilhas sejam trocadas, pois com certeza elas já estarão desgastadas e terão chegado a uma espessura de 2mm, a medida mínima indicada. Caso as pastilhas não sejam trocadas, o disco será danificado, complicando e encarecendo uma operação que deveria ser simples, barata e rápida. Por isso uma boa dica é: fique atento ao tempo de vida útil das peças e troque-as assim que elas começarem a dar sinais de desgaste, pois o prejuízo futuro pode ser muito maior.

Leia também: Quanto é a média do valor de uma revisão de veículo?

Outro componente que muitas pessoas acabam não dando a devida atenção são as lonas de freio. Quando desgastadas, as lonas de freio podem comprometer a frenagem e, consequentemente, a segurança dos ocupantes de um veículo. Por isso, o ideal é efetuar a troca assim que essa situação for identificada.

pastilhas de freio

Sinais como a dificuldade em frear o carro, rangidos e falta de estabilidade podem indicar que as lonas de freios precisam ser verificadas e trocadas. Nesses casos, também pode ser observada uma maior dificuldade em manter o veículo parado por meio do freio de mão.

Ao perceber qualquer desses sinais em seu veículo, procure uma oficina de confiança o quanto antes. A troca das lonas é um serviço barato e rápido, que vale muito mais a pena do que correr os riscos de adiar esse cuidado.

Leia também: 7 acessórios para carro que são indispensáveis

Como você percebeu, é importantíssimo manter em dia a manutenção do seu automóvel para aumentar sua vida útil e evitar dores de cabeça. Esperamos ter conseguido lhe ajudar a compreender quando trocar os componentes do seu sistema de frenagem e, desta maneira, manter seus passeios ainda mais seguros. Compartilhe esse texto nas suas redes sociais e auxilie mais pessoas nesse assunto.

Até a próxima!