O Conselho Nacional de Trânsito, na resolução número 396, apresenta a classificação de todos os veículos automotores de acordo com as suas especificações de peso, tamanho, altura, etc. Em resumo, eles são divididos em dois grupos que causam muitas dúvidas e questionamentos para os motoristas: o grupo de veículo leve e veículo pesado.

Como a maioria não conhece exatamente o que caracteriza cada um dos grupos, diversas multas são aplicadas por tráfego de forma indevida. Por isso o questionamento é importante: você sabe diferenciar um veículo leve e veículo pesado? Durante este post, vamos te mostrar as principais diferenças entre um e outro, e o que você deve avaliar na hora de comprar um veículo. Acompanhe com a gente!

Quais são as principais nomenclaturas utilizadas dentro do universo de veículo leve e veículo pesado?

Sabemos que tão importante do que investir em um carro, é conhecer os termos que mais causam confusão na hora de dirigir e até mesmo na hora de fechar um negócio. Os mais comuns são “camionete”, “camioneta” e “caminhonete”. Os dois primeiros representam o mesmo modelo e classificam os veículos utilitários esportivos e SUVs. Eles têm carroceria totalmente coberta, como um carro hatch comum, levam entre cinco e sete ocupantes, mas têm rodas e pneus maiores, além de suspensão mais alta. São ideais para o transporte da família e para o tráfego em locais de difícil acesso, como estradas de lama e com pedregulhos. O Kia Sorento é um exemplo de camioneta de sete lugares, enquanto o Range Rover Evoque exemplifica bem um SUV de até cinco lugares.

As caminhonetes também são altas e robustas, mas apresentam carroceria com caçamba descoberta estendida, focando no transporte de cargas. Portanto, têm apenas dois ou três lugares. Assim como as camionetas, as caminhonetes podem ser 4×4. Ou seja, ter tração nas quatro rodas. Isso é fundamental para não ficar preso em atolamentos. Alguns modelos têm cabine estendida para transportar até cinco pessoas, mas isso reduz o espaço da carroceria. Então, a escolha depende muito da necessidade do dono. Fiat Toro, Chevrolet S10 e Toyota Hilux são bons exemplos de caminhonetes.

O que de fato caracteriza um veículo leve e um veículo pesado?

Segundo o Conselho Nacional de Trânsito, o veículo leve e um veículo pesado apresentam diversas características bem distintas. Conheça a seguir as principais:

  • Veículos Leves

Eles têm peso bruto de até 3.500 quilos (3,5 toneladas) e são representados por ciclomotores, motonetas, motocicletas, triciclos, quadriciclos, automóveis, utilitários esportivos, SUVs e caminhonetes.

  • Veículos Pesados

Já os veículos pesados têm peso bruto acima de 3.500 quilos e são representados por micro-ônibus, tratores, caminhões, carretas, ônibus, motorhomes e veículos leves com reboque (carretinhas).

O limite de velocidade para os veículos pesados, geralmente, corresponde a 80% do que é determinado para os veículos leves nas estradas, e a multa por trafegar acima do limite varia muito.

Qual a velocidade máxima original para veículo leve e veículo pesado?

Automóvel sem reboque (veículo leve):

Velocidade permitida: 100 km/h.
Velocidade aferida/considerada: 121 km/h.
Enquadramento: art. 218 II do CTB (transitar em velocidade superior à máxima permitida em mais de 20% até 50%).
Infração grave: 5 pontos
Penalidade: multa de R$ 127,69.

 Mesmo automóvel do exemplo anterior com reboque (fica equiparado a veículo pesado):

Velocidade permitida: 80 km/h (considerar a velocidade permitida para veículo pesado).
Velocidade aferida/considerada: 121 km/h (mesma do exemplo anterior).
Enquadramento: art. 218 III do CTB (transitar em velocidade superior à máxima permitida, em mais de 50%).
Infração gravíssima: 7 pontos.
Penalidade: multa de R$ 574,62 e suspensão imediata do direito de dirigir e apreensão do documento de habilitação (CNH).

Outra novidade apresentada pela resolução é no sentido de que as estradas e rodovias (ou trechos) sem a placa que regulamenta a velocidade máxima permitida (R-19) também poderão sofrer a fiscalização com medidores de velocidade dos tipos móvel, estático ou portátil, desde que observados os limites de velocidade estabelecidos no § 1.º do art. 61 do Código de Trânsito Brasileiro, ou seja:

I – nas vias urbanas:
a) oitenta quilômetros por hora, nas vias de trânsito rápido;
b) sessenta quilômetros por hora, nas vias arteriais;
c) quarenta quilômetros por hora, nas vias coletoras;
d) trinta quilômetros por hora, nas vias locais;

II – nas vias rurais:
a) nas rodovias:
1) cento e dez quilômetros por hora para automóveis, camionetas e motocicletas;
2) noventa quilômetros por hora, para ônibus e micro-ônibus;
3) oitenta quilômetros por hora, para os demais veículos;

b) nas estradas, sessenta quilômetros por hora.

É importante dizer também que segundo a Resolução, um “veículo leve” pode ser considerado “veículo pesado” se estiver rebocando um outro carro ou uma “carretinha” de moto, jet-ski, bagagem, trailer etc. O que, por sua vez, irá influenciar a fiscalização da velocidade máxima original.

Veículo Leve e Veículo Pesado: entenda todas as diferenças

EXTRA: Agora que você já conhece um pouco mais sobre veículo leve e veículo pesado, saiba o que deve ser considerado na hora de realizar a compra do seu automóvel:

Não importa se você vai comprar um carro novo ou usado, é fundamental avaliar alguns fatores antes da decisão final para não se arrepender ou ter problemas depois. Listamos os principais quesitos a seguir.

Preço e forma de pagamento

Faça uma pesquisa para ver se o veículo desejado está dentro da faixa de preço praticada pelo mercado. Preços muito abaixo ou muito acima podem indicar problemas. A tabela FIPE é uma boa fonte para essa pesquisa. Avalie também as demais taxas do negócio, assim como o valor e o número de parcelas.

Revisão e manutenção

Caso esteja comprando um veículo usado, solicite ao proprietário atual o comprovante das últimas revisões preventivas e das manutenções não programadas realizadas para saber o que foi trocado, se as peças e os componentes são originais e se o dono cuidava bem do carro. Revisões em dia são um bom sinal!

Desvalorização

Verifique a taxa anual média de desvalorização para o modelo. Se for alta, você pode perder muito dinheiro na venda ou troca futura. Geralmente, isso é causado por baixa procura pelo modelo no mercado e pela dificuldade em encontrar peças de reposição. Então, tenha atenção a esse ponto.

Agora que você já sabe a diferença entre veículo leve e veículo pesado, não deixe de compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Até mais!