Foram anos de cumplicidade, mas chegou a hora de dizer adeus ao seu maior companheiro e de passá-lo para frente, para que ele encontre alguém que realmente fique feliz com a sua companhia. Essa pode ser uma regra aplicada a qualquer relacionamento, e, no caso do seu com o seu carro, não é diferente.

Os motivos que o levaram a vender o seu carro podem ser variados, e tanto faz se vocês fizeram muitas sessões de terapia de casal no mecânico, ou se o relacionamento foi sempre tranquilo, em clima de lua de mel, com uma viagem aqui e outra ali e várias memórias na bagagem. Quando é chegada a hora, é preciso escolher a forma ideal de vender o seu carro. E são várias as opções, cada uma com suas particularidades, vantagens e desvantagens. Mas qual será a melhor delas? Para que você faça um bom negócio, no post de hoje, a gente explica como descobrir a escolha certa. Acompanhe.

#1 Anunciar em sites especializados

Quem nunca recorreu à internet para fazer qualquer busca? Hoje em dia, sem sombra de dúvidas, ela é o meio que mais facilita as relações de compra e venda. E vale de tudo, desde sites nos quais se anuncia qualquer tipo de produto ou serviço, até os especializados, que atendem a um ramo específico.

Se você quer vender o seu carro, pode utilizar dessas ferramentas para anunciá-lo. Normalmente, os sites generalistas, como OLX, não cobram nenhuma taxa para as pessoas que desejam anunciar suas ofertas, e a busca é feita a partir dos dados que são informados no momento do cadastro. Por exemplo, se você cadastrou um carro Gol 2014, em Florianópolis, ele vai aparecer nos resultados quando alguém procurar por essas características.

Outra opção é anunciar em sites específicos do segmento automotivo. Dessa forma, é possível alcançar um público mais segmentado, que realmente vai acessar a página porque está em busca de automóveis para comprar.

Leia também: 5 dicas para fazer uma boa consignação de carro

Mas, como nem tudo são flores, existe um preço a se pagar pelo grande alcance dos anúncios feitos em sites de venda. Por esse meio, é impossível comprovar a idoneidade da pessoa que vier a se interessar pelo seu carro, portanto, as chances de calote existem. Para facilitar a transação, você pode usar ferramentas de pagamento online, ou então anunciar apenas em sites que tenham o acesso controlado.

Para evitar ficar sem carro e sem o pagamento pelo bem vendido, nada de fazer a transferência do veículo antes de receber o valor acordado, combinado?

#2 Apostar na sorte

vende-se este carro

Tem gente que acredita, outros que acham que a sorte nem existe. Mas se você quiser, pode contar com ela na hora de vender o seu carro. Se a ideia é fazer a negociação sem intermediários, por que não colocar uma placa de “vende-se” nas janelas do veículo com o seu contato?

Mas fica o alerta: sem a segurança de um intermediador, as chances de a negociação não ser concluída ou de sofrer algum tipo de golpe aumentam consideravelmente. O seguro morreu de velho, mas arrisca-se quem quer.

#3 Vender o seu carro para amigos e familiares

Deixar as coisas em família pode ser uma boa escolha na hora de vender o seu carro. Se seu filho acabou de completar 18 anos ou algum outro parente tenha interesse em comprar o seu veículo, esse até pode ser um bom negócio.

Apenas é preciso tomar alguns cuidados para que a negociação seja concretizada da melhor forma possível, preservando os laços entre as partes. Você, com certeza, já deve ter ouvido aquele ditado que diz “amigos, amigos, negócios à parte”, certo? Por isso, se essa for a sua escolha de venda, é bom colocá-lo em prática e fazê-lo valer.

#4 Trocar em uma concessionária

A vida está melhorando e você pretende trocar o seu carro por um modelo zero? Para quem está em busca dessa troca, dar o veículo antigo como parte do pagamento de um novo é uma opção válida. A grande vantagem é que você sai da concessionária já com o carro, mas é preciso levar em consideração o compromisso financeiro assumido em médio e longo prazo. Por ter um custo maior, os zero quilômetro podem representar altas parcelas de financiamento, que, muitas vezes, acabam pesando no bolso e comprometem o orçamento familiar.

Leia também: 10 dúvidas mais frequentes sobre financiamento de carro

#5 Anunciar em jornais impressos

Tudo bem que a quantidade de pessoas que assinam ou compram os jornais impressos diminui consideravelmente, e prova disso é o surgimento de edições online dos mesmos. Mas o jornal impresso ainda tem um público fiel, que conserva o hábito da leitura no começo do dia, durante o café da manhã, por exemplo.

Há também aqueles que não abrem mão da edição de domingo, normalmente mais extensa e com abordagens diferentes das que são feitas nos outros dias da semana. Por isso, ao anunciar nos classificados desse veículo, você tem a chance de alcançar um público tradicional, e que pode se interessar pela sua oferta.

#6 Vender para uma revendedora

vender carro para revendedora de seminovos

Se você deseja vender o seu carro sem se preocupar com anunciar, negociar (muitas vezes por meses), acompanhar interessados em test drive, e não tem interesse em pegar carro na troca (em geral ao negociar com particulares há veículo na troca) e tudo mais que a venda de um automóvel envolve, a opção mais rápida é vender o carro em uma loja de veículos seminovos e usados. Em geral essas lojas pagam à vista e você conclui a venda em minutos. Lembre-se de sempre fazer um contrato e escolher lojas idôneas. Essa é a opção ideal para quem não quer dedicar muito tempo a venda e quer dinheiro rápido.

Ah, ainda sobre revendedoras, aqui neste post falamos sobre consignação de carro, o que pode ser uma boa opção pra você.

Leia também: 3 soluções para você trocar o seu carro financiado

#7 Troco na troca

Outra opção bacana é o famoso ‘troco na troca’, quando a ideia é trocar o seu carro antigo por outro de menor valor. Um exemplo: o seu carro custa R$ 40.000 e você tá precisando de R$ 10.000. Neste caso, a loja compra o seu carro e você sai com um carro de R$ 30.000 mais os R$ 10.000 de que precisava. Essa é uma ótima opção para quem não quer ficar sem carro. Ou seja, você pega na troca um carro de menor valor, resolve seus problemas e não fica sem carro.

Outra grande vantagem para quem escolhe negociar com revendedoras é o fato de o pagamento ser à vista, ou seja, você sai da loja já com o valor acordado da venda. Isso faz com que essa seja uma opção bastante atraente. Se esse for o seu caso, não meta os pés pelas mãos ao escolher a primeira oferta que lhe fizerem. Dedique o seu tempo para pesquisar por empresas que tenham presença forte no mercado de automóveis e que adotem a satisfação do cliente como meta em cada negociação concretizada. Só assim você terá a garantia de fazer um bom negócio com a venda do seu carro.

E você, se identificou com algum desses modelos para vender o seu carro?  Ficou com alguma dúvida sobre qual é o mais vantajoso para o seu perfil? Conte pra gente pelos comentários e até a próxima.

VENDA E RECEBA À VISTA