Aos poucos, o carro elétrico deixa de ser novidade e começa a ocupar um espaço importante no mercado de automóveis do Brasil. No primeiro semestre de 2020, foram vendidos 7.568 carros eletrificados, mais que o triplo do registrado no mesmo período de 2019, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE). 

E a tendência é este número aumentar cada vez mais. Um estudo realizado pela Bloomberg Electric Vehicle Outlook, mostrou que no ano de 2040 as vendas de carros elétricos e eletrificados chegarão a 60 milhões de unidades anuais, o equivalente a 55% do mercado total de carros.

O antes solitário BMW i3, agora tem a companhia do Chevrolet Bolt, Nissan Leaf e Renault Zoe. Isso sem contar os carros híbridos, mais estabelecidos no mercado como o Corolla, da montadora japonesa Toyota.

Imagem ilustrativa do texto sobre carros elétricos

Para completar, algumas cidades estão dando incentivos para a compra de carros elétricos, como São Paulo, por exemplo. Na capital paulista, quem tem um carro elétrico ou híbrido tem 50% de desconto do IPVA, além de ser isento do rodízio municipal.

Mas, mesmo com todo este movimento de aumento na procura pelo carro elétrico, ainda existem muitas dúvidas sobre o funcionamento e as características dos veículos, como a sua autonomia ou a maneira  como a bateria trabalha. Por isso, separamos os principais questionamentos feitos sobre o tema para esclarecer suas dúvidas.

Leia também: Veículo Leve e Veículo Pesado: entenda todas as diferenças

Dúvidas sobre o carro elétrico:

  • Como funciona a recarga?

O carro elétrico, como o próprio nome já diz, necessita de recarga energética para funcionar, assim como a bateria do seu celular. Segundo a CPFL, um veículo desse tipo não pega mais energia que um chuveiro que fique ligado durante o mesmo tempo. 

Mas, mesmo ele tendo esta característica, não necessariamente você pode carregar ele na tomada de casa, uma vez que a potência da rede doméstica é mais baixa que a dos postos de carregamento. Com isso em mente, é preciso saber que a recarga em casa demora mais horas do que em um posto exclusivo para esta finalidade.

Além disso, o equipamento de recarga que acompanha o veículo exige que a rede elétrica possua aterramento funcional, ou seja, é preciso que o pino central da sua tomada não seja somente um guia para os outros dois, ele usa de fato o terceiro pino. 

Tendo esta noção, antes de comprar um carro elétrico, consulte um especialista e peça para ele realizar uma análise de sua rede doméstica. Este serviço é disponibilizado por algumas fabricantes de veículos. 

  • Quanto tempo leva para carregar as baterias?

Existem algumas maneiras de um carro elétrico. Se você fizer as adaptações na sua casa, como citado na questão acima, isso deixará a sua residência apta para carregar o veículo no “modo normal”. Nesta condição, em média, a bateria chega aos 100% de recarga num prazo varia entre 8h e 12h, dependendo do modelo do veículo.

É possível acelerar este processo com um kit de recarga rápida, vendido como acessório para os veículos. Nestes casos, a própria fabricante normalmente realiza a instalação e o tempo de recarga total da bateria pode cair pela metade.

Em lugares especializados como postos de recarga, a bateria é recarregada até os 80% em cerca de 2 horas, na média.

  • A bateria fica viciada?

Esta lenda foi criada devido aos celulares mais antigos. As baterias de íon de lítio dos carros não têm mais o chamado efeito memória. Um banco de baterias é composto por vários módulos. O que pode acontecer é que se um estiver “menos eficiente” ou mais “envelhecido” que o outro, o sistema vai balancear as células e equilibrar essa carga, pois uma parte pode demorar mais para carregar que a outra.

Por isso, os carros costumam chegar bem rápido aos 80% de carga e depois a carga demora mais para chegar nos 100%. 

  • Dá para encarar enchente com carro elétrico?

Sim. É evidente que, assim como os carros convencionais, o ideal é evitar trechos onde a água esteja acima da metade da roda. Mas se não tiver jeito, o elétrico leva vantagem porque ele não tem escapamento, então não aspira água. Mas tenha certeza de que o carro não vai dar choque nem entrar em curto-circuito por causa da chuva.

O conjunto de baterias é selado e à prova de infiltrações. Fora isso, existe um dispositivo de segurança que corta a corrente em caso de acidentes ou se o sistema perceber a entrada de água. 

  • Pode carregar o carro na chuva? Ou perto de crianças?

Sim, o sistema é muito seguro e testado. Os cabos do carregador e os demais componentes são preparados para proteger o usuário de um choque elétrico e até resistem a um jato de água direcionado.

Leia também: Lançamentos SUV 2020: Veja o que há de novo no mercado e o que ainda está por vir

Quais são as vantagens de um carro elétrico?

Imagem ilustrativa do texto sobre carros elétricos

Agora que você já sabe as informações mais básicas sobre os carros elétricos, vamos falar sobre as suas vantagens. 

  • Modelos adaptados para 110v e 220v;
  • Frenagem automática, com a presença de um pedestre;
  • A recarga da bateria leva um tempo de 5 a 20 minutos para a carga total;
  • O motor elétrico é cerca de 3 vezes mais eficiente que o motor movido a gasolina;
  • O peso e volume do motor são quase a metade dos carros comuns;
  • Sistema de estacionamento automático;
  • Aviso de mudança de faixa.

Quais são as desvantagens do carro elétrico?

Claro que nem tudo é perfeito. O carro elétrico, apesar de todos os seus benefícios, não funciona por magia. Também existem pontos negativos que devem ser levados em conta quando pensamos em um carro elétrico.

  • O custo de produção é alto, portanto, se você pretende comprar um carro elétrico, se prepare que irá pagar um valor salgado;
  • No Brasil ele está começando a se popularizar o que dificulta encontrar modelos por aqui;
  • Não existe um número grande de postos de abastecimentos no país especializados em carros elétricos.

Estas são as principais informações e dúvidas sobre o carro elétrico no Brasil. deixe aqui nos comentários se este texto te auxiliou de alguma maneira e não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais. Até mais!