Por ser um mercado em permanente expansão, muitos itens considerados de luxos em automóveis hoje estão mais acessíveis ou até se tornando itens de fábrica, como ar condicionado, direção hidráulica, e, o queridinho do momento, o câmbio automático. Necessidade básica para pessoas com deficiência, o câmbio automático está ganhando o mercado automotivo e até nos modelos mais populares já se tem a opção de sair da fábrica com transmissão automática.

Consultorias especializadas estimam que as vendas de carros automáticos ultrapassaram o volume de veículos equipados com câmbio manual já em 2019. Atualmente, entre os sedãs médios vendidos no mercado brasileiro mais de 95% têm a transmissão automática, item de fábrica em quase 90% dos utilitários esportivos comercializados no país. E, segundo o Departamento Nacional de Trânsito, cerca de 50% do total dos emplacamentos de veículos novos já são de modelos com transmissão automática.

Se você tem interesse em adquirir um carro com transmissão automática, mas está com medo porque não conhece o sistema, continue conosco que vamos esclarecer todas suas dúvidas sobre o câmbio automático!

Mas, o que é o câmbio automático?

Imagem para ilustrar o texto sobre câmbio automático

O câmbio automático é um sistema para troca de marchas realizada pelo sistema de transmissão do automóvel, que detecta a relação entre a velocidade (km/h) e a rotação do motor (rpm) para decidir pela troca automática da marcha. O câmbio automático não tem embreagem, é um componente chamado conversor de torque que faz a ligação entre a caixa de transmissão e o motor. Por isso os carros que utilizam esse sistema só apresentam dois pedais, um para acelerar e outro para frear.

Ao contrário do sistema de câmbio manual, onde se trabalha com engrenagens de tamanhos diferentes e engatadas individualmente, no câmbio automático utiliza-se o sistema de engrenagens planetárias. Elas possuem tamanhos diferentes, mas todas elas estão sempre engatadas entre si, a relação da força é dada de acordo com a ordem que essas engrenagens estão conectadas. Logo, veículos com câmbio automático não demandam a troca de marchas pelo condutor.

Leia Mais: Tudo o que você precisa saber sobre carro elétrico

Tá, mas e o que muda do câmbio manual para o automático?

Nos carros de câmbio manual, o motorista precisa “sentir” o momento exato da troca de marcha para pisar na embreagem com o pé esquerdo, acionar manualmente a alavanca de transmissão e mudar para a marcha adequada à situação.

Em um carro automático, tal habilidade é dispensada, pois o sistema de transmissão, seguindo sua configuração, substitui o motorista na hora de trocar de marcha. O próprio veículo se encarrega de identificar o momento exato para executar o ajuste e mudar para a marcha adequada. Assim, você só precisa controlar a velocidade com o acelerador e o freio.

E o que são todas aquelas letras do câmbio automático?

À primeira vista, a mudança dos números do tradicional câmbio manual para o sistema de letras no câmbio automático pode assustar, até porque as letras são iniciais de palavras em inglês, confundindo os iniciantes algumas vezes. As letras correspondem às posições da alavanca que, por sua vez, representam as ações que o condutor executa com o veículo.

O padrão mais recorrente apresenta as opções:

  • D” (drive, termo inglês para dirigir) É a posição em que o câmbio trabalha e faz o carro se movimentar ao passo em que faz as trocas de marcha sozinho.
  • P” (park, estacionar) Posição para ser usada quando o carro está parado, pois trava o câmbio e impede a movimentação do carro
  • R” (reverse, ré) Engata a marcha ré. Para ser utilizada apenas em manobras.
  • N” (neutral, neutro) Assim como em um carro manual, é a posição em que o carro fica “solto”, sem nenhuma marcha engatada

Sem contar os modos “L” (low, marcha reduzida), “S” (modo esportivo) e outras opções.

Leia Mais: Pneus 4×4: entenda as diferenças para veículos on-road e off-road

Imagem para ilustrar o texto sobre câmbio automático

Como dirigir carro automático?

Repita o mantra: esqueça o pé esquerdo! Esse é o primeiro passo para dirigir um carro manual. O segundo passo é pisar no freio antes de ligar o carro e, após a partida, colocar a marcha no ponto D, de dirigir para só então soltar o freio de estacionamento.

A partir daí é só soltar o pedal do freio e acelerar para o carro se mover e assumir o controle, as marchas serão ajustadas automaticamente de acordo com a variação de velocidade do carro.

Na hora de estacionar, é necessário apenas pisar no freio e colocar o carro na posição “P”; pisar no freio e colocar em “R”, para marcha ré; e quando o veículo não estiver em movimento, a marcha ficará posicionada no “N”.

Com o carro parado, por exemplo, use sempre o “P”. Essa posição é utilizada ao estacionar o veículo e vem do inglês “Park”. Para movimentá-lo, coloque em “D” (do inglês “Drive”) e mantenha nessa posição enquanto estiver rodando.

Mais alguma coisa que eu preciso saber sobre câmbio automático?

Sim! Temos mais algumas dicas e observações a fazer sobre esse sistema…

O ideal é que, em carros com câmbio automático, o motorista acelere e freie usando o pé direito. O problema é que a sensibilidade com a perna esquerda, em geral, é menor, o que pode ocasionar freadas mais bruscas do que o necessário, podendo gerar um acidente.

Não se assuste se o carro andar sozinho, esse é um fenômeno conhecido como “creeping”. Quando um carro automático está na posição D e o motorista apenas tirar o pé do acelerador, o carro começa a andar lentamente para frente sozinho, mesmo sem acelerar. Fique atento para não causar pequenos acidentes!

Nunca engate o R ou P com o carro em movimento, você poderá causar avarias na transmissão e seus componentes. Ao mudar entre marchas opostas com o carro ainda em movimento, é a transmissão que está sendo usada para parar o carro, e não os freios.

Não confie apenas no P. Uma vez que o P trava o câmbio e o carro não se movimenta, alguns motoristas ficam tentados a esquecer de usar o freio de mão. Isso é prejudicial para o câmbio. A trava é mecânica e não é feita especificamente para segurar o peso do carro. Então, sempre use o freio de mão.

Imagem para ilustrar o texto sobre câmbio automático

Não engate a posição “N” quando parar no semáforo ou em descidas ou desacelerações. Experimente manter o carro na posição ”D” e o pé no freio, sempre que estiver parado no sinal para ter controle total de seu veículo. Ao passo que deixar o carro descer em ponto morto irá fazer com que você tenha um menor controle sobre ele, sendo que a única coisa que conseguirá fazer é diminuir a velocidade, não conseguindo acelerar caso necessite.

Nunca acelere o carro quando ele estiver parado. Para arrancar com a rotação alta, alguns motoristas recomendam colocar o câmbio em N, acelerar e então colocar em D. Essa prática, além de um belo tranco, força e pode até quebrar o conversor de torque, ou kit de embreagem dependendo do câmbio.

Leia Mais: Vantagens e desvantagens do carro híbrido

Agora que você já conhece o câmbio automático, saiba que essa opção lhe dá mais conforto ao dirigir, apresenta uma boa performance na estrada e é mais prática, deixando a experiência bem mais fácil e intuitiva. Ah, e não esqueça de trocar regularmente o óleo do seu carro! Até mais!