Quem não gosta da companhia do seu melhor amigo na hora do passeio? E você não precisa se privar da companhia do seu animalzinho de estimação, só precisa estar atento a alguns cuidados no transporte do pet. É pela segurança e conforto do seu amiguinho que você deve seguir algumas regras básicas para o transporte do pet em veículos particulares.

Por exemplo, por mais que seu cãopanheiro curta passear no banco do carona curtindo uma brisa e a paisagem, esse tipo de situação é proibida pelo Código Brasileiro de Trânsito. O fato do pet estar solto no carro coloca em risco a segurança tanto do animalzinho quanto do condutor, que pode se distrair e provocar um acidente.

Leia também: 7 dicas para dirigir com segurança na estrada durante as férias

O que diz a legislação sobre o transporte do pet

A primeira coisa a se saber para o transporte do pet é o que diz a lei e como cumpri-la. O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) não proíbe o transporte de animais em veículos, mas é bastante claro em relação a alguns cuidados que devem ser tomados.

Segundo o artigo 252 do CTB você não pode levar o animal entre o banco do motorista e o banco do passageiro, ou entre o banco e a porta, o que significa que não é permitido transportar o pet no colo, segurá-lo pelo braço ou deixá-lo entre as pernas enquanto dirige. Caso não esteja acompanhado dentro do carro, o motorista deverá deixar o pet no banco traseiro ou na caixa de transporte para cães.

De forma semelhante, o artigo 235 adverte os motoristas que é proibido trafegar com pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, ou seja, nada de pets na cachorreira ou caçamba de pick-ups, caminhonetes, etc. Assim como não pode deixar que o pet coloque a cabeça ou qualquer outra parte do corpo para fora do veículo enquanto o carro estiver em trânsito.

O artigo 169 apresenta um texto mais genérico, sobre dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança, que pode ser aplicado no transporte do pet de forma inadequada. Quando acomodados incorretamente, os animais podem atrapalhar ou tirar a atenção do motorista colocando todos em risco.

Deixar o pet solto no carro traz altos perigos para a segurança do animal, além de poder provocar acidentes. Para se ter uma ideia, uma frenagem brusca ou colisão pode gerar lesão no animal. Além disso, deixá-lo trafegar solto e com a janela aberta gera risco de queda do animal do veículo.

A legislação brasileira não prevê um limite de animais no transporte do pet, nessa hora você deve usar do bom senso. Como os animais só podem ser transportados no banco traseiro onde, por via de regra, existem três cintos de segurança, esse é o limite de animais que você pode transportar sem arriscar a segurança de ninguém.

Leia também: 10 curiosidades sobre carros que você não sabia

Acessórios apropriados para o transporte do pet

CADEIRINHA

A cadeira de transporte é presa através do cinto de segurança, semelhante ao acessório para crianças, e impede que o animal seja projetado dentro da cabine em caso de colisão.

Também existe num modelo semelhante a uma cestinha que vai presa no banco do carro ou encaixada no encosto de cabeça do banco traseiro e o animalzinho preso pela coleira dentro dessa cadeirinha. São recomendadas para animais pequenos com até dez quilos.

CAIXA DE TRANSPORTE

Já as caixas de transporte geralmente são construídas em plástico com ventilação, impedindo que o pet passe calor, e possibilitando que o animal não perca o contato visual com o ambiente.

A caixa de transporte é o acessório mais comum e recomendado. Ao escolher o modelo, lembre-se que é importante que haja espaço para o animal se movimentar, de modo a se acomodar confortavelmente dentro da caixa.

A opção da caixa é a única apropriada quando o assunto é o transporte de gatos, que não gostam muito de mudanças repentinas e ambientes diferentes do que já estão acostumados. Uma dica importante é deixá-los se acostumarem com a caixa dias antes do uso.

CINTO DE SEGURANÇA

O cinto de segurança adaptado ou cinto peitoral funciona como uma coleira que pode ser engatada no fecho de um dos cintos do banco de trás. Muitas pessoas prendem a guia normal do cachorro no cinto de segurança do carro e isso é errado e perigoso da mesma forma. O cinto para transporte de animais é especial para isso e possui um tamanho que faz com que o cachorro fique firme e não tenha liberdade no banco de trás (o que pode atrapalhar o condutor).

GRADE DIVISÓRIA

Alguns pets de maior porte não conseguem se adaptar ao cinto de segurança e sentem muito a restrição de espaço no banco traseiro. Nesses casos a solução pode ser o uso de uma grade divisória entre o porta malas e o banco de trás, fazendo o transporte do pet no bagageiro. Porém, ela é indicada apenas para animais de mais de 25 kg.

Leia também:  Conheça 9 cuidados com o carro que você precisa ter diariamente

Dicas para o transporte do pet com segurança

1. Mantenha o pet preso

Mesmo que tenha alguém no carro para segurar o pet no colo, é mais seguro para todos que ele fique preso. A escolha do acessório ideal vai depender do porte do cachorro. Para os pequenos, a caixa para transporte de cães e as cadeirinhas são as mais recomendadas. Já para os cachorros de médio e grande porte, utilize guias que se acoplam ao cinto de segurança.

2. Jamais deixe o pet sozinho no veículo

Mesmo que por 5 minutos, nunca abandone seu amiguinho! Esse ato pode ter consequências gravíssimas e, muitas vezes, ser fatal. O calor e a falta de ar fazem o animal entrar em desidratação e hipertermia, e ele pode morrer muito rapidamente.
Isso acontece porque o cão não transpira como os humanos. A forma deles de trocar calor é pela língua, respirando de forma rápida e ofegante e, em um lugar fechado, essa respiração ficará comprometida

3. Passeios longos e viagens precisam de planejamento

De modo geral, no caso de trajetos mais longos, o animal deve ser mantido em jejum, para evitar enjoo, em um ambiente ventilado e com temperatura agradável. É necessário realizar paradas regulares, a cada duas ou três horas, para que o animal possa ser avaliado, hidratado e encaminhado para realizar suas necessidades fisiológicas.

Leia também: Séries sobre carros disponíveis no Netflix

Agora que você já sabe os cuidados para o transporte do pet, pode circular tranquilo e seguro com seu cãompanheiro! Continue acompanhando nosso blog para mais informações e curiosidades do universo automotivo!