Você sabia que a revisão do sensor de temperatura do seu carro é um dos itens de revisão mais importantes a serem realizados? Isso tudo porque ele pode ajudar a evitar problemas no motor que podem ser mais complexos e mais caros para serem resolvidos no futuro. Por isso, no texto de hoje, vamos te explicar o que é essa peça, qual a sua função e quando deve ser feita a manutenção. Leia com atenção para que você não fique na mão de uma hora para outra.

Imagem mostra o painel com medido de temperatura do carro. Foto para ilustrar o texto sobre como funciona o sensor de temperatura do seu carro

A função do sensor de temperatura do carro é informar, com máxima precisão, o valor exato da temperatura do motor. Além dessa função, o sensor também oferece informações para a execução de diversas estratégias de funcionamento do motor. Continue lendo e descubra como funciona o sensor de temperatura do motor:

Como funciona o sensor de temperatura do seu carro?

O sensor de temperatura do seu carro utiliza um componente cerâmico chamado termistor, que faz o envio de sinais elétricos ao medidor no painel do veículo. Em alguns casos, a temperatura do veículo pode ser sinalizada por meio de uma das luzes do painel, caso esteja muito alta.

Leia também: Cartão de estacionamento para idoso: o que é, onde e como pedir

O termistor tem como principal característica apresentar uma variação acentuada da sua resistência elétrica com relação à sua temperatura. O sensor de temperatura do seu carro funciona da seguinte maneira:

  • Aumento de temperatura
  • Diminuição da resistência e diminuição de temperatura
  • Aumento da resistência.

Se isso acontecer, não desligue o motor imediatamente, pois pode causar o superaquecimento da peça. De forma mais simples, o sensor de temperatura do motor varia os seus níveis de tensão de acordo com a mudança de temperatura, seja quando o carro está desligado, ligado ou já aquecido.

Quando o motor é acionado, por exemplo, o sensor registra um estado frio e vai aquecendo conforme o carro está em funcionamento. O sensor não pode apresentar altos níveis de temperatura, pois isso indica que há um problema no motor que precisa ser checado o quanto antes.

Leia também: Séries sobre carros disponíveis no Netflix

Onde encontrar o sensor de temperatura do seu carro?

Na maioria carros, é possível encontrar o sensor de temperatura no cabeçote, ou seja, a parte mais quente do motor e onde a temperatura pode ser medida com uma precisão mais assertiva. É o local mais indicado e mais comum de achá-lo, mas pode variar, ainda mais em carros importados, que usam outras técnicas para fazer a medição de temperatura.

Homem olhando para o motor de um carro. Imagem para ilustrar o texto sobre como funciona o sensor de temperatura do seu carro

Como a peça tem uma ponta super-resistente em contato com o fluído de arrefecimento, o sensor reage às alterações de temperatura do aditivo, variando sua resistência.

Existem outros casos em que o sensor de temperatura pode ser encontrado no coletor de admissão, próximo ao alojamento do termostato. Nesse caso, há um funcionamento um pouco diferente do citado acima: ele comunica a um computador integrado ao motor do carro se a peça está quente ou fria, assim, ele consegue se ajustar de acordo com as condições.

Como fazer a manutenção do sensor de temperatura do seu carro?

Vimos aqui que o sensor de temperatura do motor atua de maneira interligada com os demais componentes do sistema de arrefecimento. Por essa razão, além de verificar o funcionamento do sensor, é preciso dar atenção à manutenção do sistema como um todo para garantir que o motor trabalhe em condições ideais.

Conheça agora as principais práticas que devem ser adotadas na hora de fazer a manutenção do sensor de temperatura do motor.

Trocar o sensor no prazo correto
O período para substituição do sensor de temperatura pode variar de acordo com o modelo e a forma de uso do veículo. Por isso, conferir o manual do proprietário é a melhor maneira de descobrir o prazo ideal para realizar essa troca.

Avaliar a válvula termostática
Existem duas situações que podem ocorrer quando esse componente apresenta problemas. Se a válvula não se abrir, o líquido quente não é liberado para o radiador, ficando restrito aos canais internos do motor. Isso aumenta as possibilidades de superaquecimento, que pode danificar o sensor de temperatura.

Homem olhando para o morto de um carro que está saindo fumaça; Imagem para ilustrar o texto sobre como funciona o sensor de temperatura do seu carro

No entanto, se a válvula travar na posição aberta, o motor trabalhará sempre abaixo da temperatura recomendada. O resultado disso será a diminuição da eficiência do veículo e o desgaste acentuado de peças como pistões, anéis e camisas.

Substituir o líquido de arrefecimento
O líquido de arrefecimento conduz o calor gerado pelo motor para o radiador, onde ele é dispersado na atmosfera. Ele é formado por uma combinação entre água desmineralizada e fluido de refrigeração, que possui características físicas e químicas especiais para aumentar sua eficiência na condução do calor.

Essas propriedades, no entanto, vão se enfraquecendo ao longo do tempo. Isso faz com que a troca do líquido seja indispensável para que o sistema de arrefecimento e, consequentemente, o sensor de temperatura funcionem da maneira correta. Os manuais dos veículos costumam trazer informações a respeito do prazo e do tipo de fluido que deve ser utilizado na troca.

Verificar a bomba d’água e as mangueiras
Para que o líquido de arrefecimento circule adequadamente, é importante que a bomba d’água e as mangueiras do sistema estejam em boas condições. Problemas nesses componentes podem ocasionar vazamentos, reduzindo o nível do líquido no reservatório. Se a bomba apresentar barulhos estranhos ou folga na polia, é provável que esteja na hora de efetuar a troca. Quanto às mangueiras, é preciso avaliar se elas estão ressecadas ou desgastadas, a fim de evitar o seu rompimento.

Agora que você já conhece um pouco mais e entendeu como funciona o sensor de temperatura do seu carro, fica mais fácil ficar atendo aos detalhes. Tomando esses cuidados simples, você reduz os riscos de problemas no sensor de temperatura do motor e no sistema de arrefecimento como um todo. Fique atento: além desses testes que mostramos, a injeção eletrônica também precisa ser avaliada na hora da manutenção.

Se você gostou do nosso artigo, não esqueça de compartilhar com os seus contatos nas redes sociais. Nos vemos em breve.