Você já deve ter ouvido falar sobre retificar motor do carro, mas provavelmente não sabe quando é necessário. A partir do momento que tiramos nosso veículo da garagem estamos ativando o funcionamento dos componentes do motor, que trabalham em constante atrito e sob fortes temperaturas. É natural que com o tempo de uso e aumento da quilometragem as peças internas desse sistema entrem em um processo de desgaste e enfrentem possíveis problemas. Entra em cena a possibilidade de retificar motor do carro. Mas afinal, o que é e quando realizar esse processo?

Geralmente a decisão de retificar motor do carro vem seguida de alguns sintomas que possam identificar um desgaste das peças e um desempenho abaixo do esperado. Normalmente esse diagnóstico surge quando o automóvel chega a uma quilometragem muito alta, acima de 200.000 km rodados.

Leia também: Saiba como identificar um vazamento de água no motor do seu carro

Entre as características que podem indicar a necessidade de retificar motor do carro estão consumo excessivo de óleo lubrificante de motor e combustível, uma notável perda de potência, escapamento com uma liberação de fumaça muito maior, presença de ruído metálico ao acelerar, superaquecimento, aumento no consumo de combustível, e o mais comum, barulhos excessivos vindos do motor. Porém, além desses desgastes naturais existem outros fatores que podem contribuir para uma possível retífica, até mesmo podem ocorrer antes dos 200.000 km rodados. Por exemplo: correia dentada quebrada, calço hidráulico, falta de óleo lubrificante, dentre outros.

Entretanto, é importante ficar atento, porque muitos desses “sintomas” podem surgir de outros problemas, como por exemplo, barulho de detonação do motor, causado pelo uso de combustível de má qualidade.

Abaixo você confere mais sobre o assunto e entende quando retificar motor do carro!

Como é feita a retífica do motor?

Podemos dividir o processo de retificar motor do carro em parcial e completo. A primeira delas ocorre quando é restaurado apenas a parte superior do motor, onde se encontra o cabeçote, composto pelas guias, válvulas, sedes e comando de válvulas. Também entra nessa classificação a retífica realizada apenas na parte inferior do motor, quando são restaurados as camisas dos cilindros, postões, bielas e virabrequim. Já a retífica completa, como o próprio nome já diz, é quando é feito a restauração tanto da parte inferior, como da parte superior do motor.

É importante que esse serviço seja realizado após ser feito uma avaliação minuciosa por um mecânico especializado e de confiança. O primeiro passo para retificar motor do carro é retirar o equipamento do veículo. Após isso é necessário desmontá-lo para poder realizar todos os processos de limpeza e verificação das peças em bom estado e as que precisam de reparos. Ao concluir a retificação das peças, o motor é montado novamente e recolocado no veículo.

Leia também: O que pode estar causando mau cheiro no carro? Descubra aqui

Como saber se a retífica foi bem-feita?

A principal maneira de perceber se a retífica foi bem executada é observar seu carro nos primeiros 1000 km rodados após o serviço. É importante manter a água e óleo dentro dos limites adequados neste período, e claro, sempre.

Entre os aspectos a se analisar no estado geral do motor é se ele está seco, ou seja, sem presença de vazamento de óleo ou água em seu sistema de juntas e/ou conexões. É importante também ouvir se há ruídos ou barulhos surgindo do motor. Se isso estiver ocorrendo, é importante você retornar à oficina.

Outro elemento importante a ser observado é se há fumaça saindo pelo escapamento do motor. Se essa fumaça for branca, é possível que haja algum pequeno dano no cabeçote ou bloco que possa estar provocando a entrada de água no motor. Já se a fumaça for preta, o elemento em questão se trata de uma queima em excesso de óleo, possivelmente provocada por um ajuste errado nos anéis do pistão ou um vazamento dos retentores de válvulas.

Ainda falando sobre óleo, logo após retificar motor do carro é aconselhável realizar a medição do nível do mesmo. Rode 1000 km com o veículo e depois disso repita o processo de medição. Observe se o nível de óleo não está muito baixo, se sim, é um sinal de que seu motor segue com algum problema. Para ter certeza de que o nível está dentro do aceitável, vale dar uma lida no manual do carro.

 

Leia também: O carro está emitindo sons estranhos? Saiba o que pode ser

Cuidados após retificar motor do carro

A primeira coisa a se evitar é acelerações bruscas com o motor frio. É recomendável sempre ligar o motor e manter o veículo em marcha lenta até que a temperatura aumente e o carro ligue a ventoinha por duas vezes. Isso é um sinal de que o motor conseguiu alcançar a temperatura ideal para se trabalhar.

Busque sempre acelerar de maneira suave, sem esticar as marchas em excesso. Outro aspecto importante a se colocar em prática, já citado acima, mas que vale reforçar, é não rodar com o carro em rotações muito baixas, ou seja, sempre mantendo o nível de água e óleo entre o mínimo e máximo.

Como evitar que seu motor precise ser retificado

Não apenas quando o assunto é retificar motor do carro, mas em quaisquer outros aspectos mecânicos, manter as manutenções periódicas em dia é a melhor maneira para evitar problemas no seu veículo. Além disso, adotar pequenos hábitos podem contribuir para que seu motor continue funcionando por mais tempo.

A principal causa de danos está na maneira como o motorista assume a direção. Um motorista que guia seu veículo de maneira suave, evitando acelerações violentas e frenagens bruscas, tem tudo para ter um carro em perfeito estado por mais tempo.

Leia também: Conheça 9 cuidados com o carro que você precisa ter diariamente

Além desses aspectos técnicos, outro tópico conveniente e necessário para postergar a ida à oficina para retificar motor do carro é o uso constante de peças de procedência confiável. Ou seja, busque sempre peças devidamente especificadas e certificadas pela montadora e pela empresa fabricante do veículo.

Ao utilizar peças falsas ou de qualidade ou procedência desconhecidas, aumentam-se os riscos de o motor apresentar problemas, afinal está se adquirindo um produto que pode não seguir o padrão de qualidade dos itens especificados pela fábrica. Se por um lado eles podem custar mais baratos na hora da compra, por outro, eles acarretarão numa perda no rendimento, causando um gasto maior de combustível, colocando em risco a vida útil do seu veículo.

Esperamos ter lhe ajudado a entender um pouco mais sobre o processo de retificar motor do carro. Se esse conteúdo foi importante para você, ele também poderá ajudar outras pessoas. Então compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e deixe mais pessoas por dentro do tema!