Você não precisa ser mecânico para ser um bom condutor, mas como proprietário de um veículo é bom entender o básico do funcionamento do seu bem. Conhecer o sistema de suspensão ajuda a prevenir um desgaste desnecessário do sistema, bem como a identificar possíveis problemas.

É normal que os motoristas pensem que o sistema de suspensão é relativamente simples, composto apenas por molas e amortecedores. Mas, na verdade, o sistema é um pouco mais complexo, composto por muitos componentes e tem influência sobre o comportamento do veículo em diversos aspectos. Aliás, existem diferentes tipos de suspensão, pois eles são pensados e desenvolvidos para cada tipo de carro (levando em conta seu custo final, sua aplicação, dentre outros fatores).

Sistemas de Freio: guia completo com tudo o que você precisa para não ter problemas

O que é o sistema de suspensão?

Imagem para ilustrar o texto sobre sistema de suspensão

O sistema de suspensão é responsável por absorver as irregularidades do solo, mantendo a estabilidade do automóvel e a segurança e conforto dos passageiros. Formado por um conjunto de peças, o sistema de suspensão é encarregado por ligar o chassi às rodas, garantindo que estejam em contato direto com o solo, proporcionando, assim, o melhor desempenho do carro.

Além disso, também é função do sistema de suspensão automotivo suportar o peso da carroceria do veículo, manter uma distância entre chassi e rodas e manter a estabilidade do veículo nas curvas. Logo, fica nítida a importância do bom funcionamento do sistema para preservação da segurança de todos.

Entenda a diferença entre motor 1.0 e 1.6

Quais são os principais componentes de um sistema de suspensão?

Cada peça da suspensão automotiva cumpre uma função dentro de todo o sistema. Daí a relevância de checar a efetividade e fazer a manutenção delas periodicamente. Determinadas peças são comuns a todos os tipos de suspensão, o que será alterado é a quantidade de cada uma, assim como a sua disposição. Entenda quais são os componentes e para que servem:

  • AMORTECEDORES: Os amortecedores são a peça principal da suspensão. São eles que amenizam as irregularidades do solo e aliviam os impactos no carro. Sem os amortecedores, o veículo não andaria em linha reta.
  • BRAÇO OSCILANTE: É a peça que apoia a coluna de suspensão e o chassi, fazendo um movimento de giro repentino sempre que o carro acelera, freia, derrapa ou passa por terrenos irregulares.
  • MOLAS: Junto aos amortecedores estão as molas, também responsáveis por minimizar desníveis da pista. Quando o carro passa a chacoalhar muito, apresentar instabilidade e a fazer barulho é possível que essas peças estejam gastas.
  • PIVÔ DE SUSPENSÃO: Esse componente cumpre a função de ligar o chassi à carroceria. É por meio dele que a coluna da direção gira em seu próprio eixo, até mesmo nos movimentos de subida e descida.
  • BARRA ESTABILIZADORA: Presa à carroceria, a barra estabilizadora auxilia na firmeza do carro, principalmente em alta velocidade. Essa peça conecta as barras de suspensão com buchas de fixação e bieletas (articulação em formato de haste).

Saiba quais são os tipos de faróis e quando usá-los

Como identificar problemas nos elementos do sistema de suspensão?

Imagem para ilustrar o texto sobre sistema de suspensão

Como o corpo humano, o carro dá indícios quando está com algum problema, sinais que podem passar quase despercebidos no começo, mas que indicam que algo não está funcionando 100%. Por isso é importante que o motorista esteja sempre atento ao funcionamento do veículo e não ignore qualquer diferença nos sons ou ao dirigir.

  • DIREÇÃO

Ainda que um veículo instável também possa ser consequência da falta de alinhamento e balanceamento das rodas, a suspensão defeituosa é uma das principais causas. É comum que balanços bruscos aconteçam quando o amortecedor está desgastado, o que indica que a suspensão deve ser checada.

Se você observou que o seu veículo não está estável nas curvas, tem tendência a ir direto, fazendo com que seja necessário diminuir a velocidade ou frear, e se a traseira está derrapando quando você corrige a direção, é um grande indício de que os amortecedores não estão funcionando corretamente e precisam ser trocados. Consulte o seu mecânico de confiança para que ele avalie o problema e realize a troca da peça.

  • PNEUS

Um dos primeiros indícios a ficar atento é o desgaste irregular ou precoce dos pneus. Se seu sistema de suspensão está gasto, com amortecedores estourados ou pivôs com folga, o pneu do carro sofre, pois, o amortecedor não consegue deixar as rodas sempre em contato com o chão ou o pivô com folga desfaz o alinhamento, por exemplo.

  • ÓLEO

Este é, provavelmente, um dos sinais que podem ser constatados mais facilmente com uma rápida e simples inspeção visual. Basta olhar o veículo e verificar diretamente os amortecedores, observando se eles lhe parecerem oleosos. Caso positivo, há uma boa chance de que estejam sofrendo algum vazamento do fluido que deveria estar comprimido dentro do amortecedor e, portanto, não funcionarão corretamente.

  • MOLAS

Ao contrário do vazamento do óleo, as molas danificadas não costumam ser identificadas com facilidade. Por serem peças silenciosas, elas não farão barulhos caso apresentem algum problema. Para atestar um defeito nas molas, é preciso prestar atenção em alguns detalhes, incluindo ferrugem e pintura desgastada.

Contudo, o maior indicativo de danos nas molas — e, consequentemente, de problemas na suspensão — é a altura do carro. Caso seu veículo perca um pouco de altura, por menor que essa perda seja, é bom ter muito cuidado e levar o carro para uma checagem.

Vale lembrar ainda que quando uma mola quebra, há um grande risco de que ela atinja os pneus com considerável violência, o que pode ser perigoso e até fatal para quem estiver no carro no momento.

  • RUÍDOS

Ouvir muitos barulhos altos e fora do comum é o primeiro sinal da existência de problemas na suspensão de um veículo. Como já falamos, a suspensão se trata de um sistema feito de vários componentes, e é preciso ter todos eles em ordem e funcionando perfeitamente para que complicações não ocorram.

Esses barulhos podem significar que algo está errado em pelo menos algumas das peças, como a biela folgada, buchas de borrachas desgastadas, pivôs, terminais axiais folgados, coxins quebrados ou deteriorados. Quando uma delas se afrouxa, a diferença de movimento da suspensão dianteira e traseira causa batidas e som forte.

Imagem para ilustrar o texto sobre sistema de suspensão

Já se você ouvir um som seco, proveniente da parte dianteira do veículo, isso pode sinalizar folga nos pivôs da direção. Quando isso ocorrer o motorista deve imediatamente solicitar um diagnóstico da suspensão, pois o próximo passo (quando o ruído for realmente do pivô) é a possível quebra e soltura da roda do conjunto da suspensão.

Veja aqui tudo o que precisa saber sobre o câmbio automático

O principal cuidado com o sistema de suspensão, além de uma direção prudente, é a realização regular do alinhamento e balanceamento das rodas a cada 10 mil km combinado com o rodízio dos pneus. Mas, se você observar algum dos sinais listados acima, é hora de procurar uma assistência especializada para solucionar os problemas na suspensão do seu veículo.