Quem nunca viveu aquele momento de tensão ao virar a chave e perceber que a bateria do carro não respondeu? Ou pior, viver diariamente na dúvida se o carro vai pegar ou não na próxima vez que precisar usá-lo? Só quem já passou por isso sabe a importância de estar atento aos sinais da bateria do carro. E com algumas dicas podem ajudar até a aumentar a vida útil desse elemento fundamental para qualquer veículo.

Sem os devidos cuidados, a bateria do carro pode deixá-lo na mão quando você menos espera. E só lembrar dela quando o carro não liga é tarde demais para soluções paliativas. Sem o mínimo de atenção à bateria do carro você pode acabar tendo que antecipar a troca, perdendo até anos de rendimento da peça. Considerando que a ferramenta pode durar de 2 a 4 anos, uma substituição antecipada pode significar a perda de metade do investimento.

Pequenas mudanças de hábitos vão lhe garantir o maior rendimento da bateria do carro, dando tranquilidade ao dirigir e uma folga no orçamento. Fique ligado nessas dicas!

Leia mais: Tudo que você precisa saber sobre o Sistema Ignição

Dicas para preservar a vida útil da bateria do carro

A bateria do carro é uma peça importante para que seu carro ligue e funcione normalmente. Constituída basicamente de placas de chumbo (positivas e negativas) e solução de ácido sulfúrico (eletrólito), que ficam alojados dentro de uma caixa plástica, a bateria nada mais é que uma fonte cumulativa de energia.

Mas você sabe quais os fatores que diminuem o tempo de vida útil da bateria do carro? Variação de temperatura, uso de faróis, lâmpadas internas e rádio, sujeira nas conexões e veículo parado são os maiores rivais da vida útil da bateria do carro, saiba como combatê-los!

USE SEMPRE A BATERIA COMPATÍVEL COM O MODELO DO CARRO

Antes de qualquer coisa, certifique-se que a potência da bateria é compatível com as necessidades do veículo. Quanto mais moderno o veículo, maior a necessidade de voltagem das baterias. Carros mais básicos usam baterias de amperagem menor, normalmente de 40 amperes. Com mais itens tecnológicos, como strat-stop, painel de instrumentos digital e central multimídia, maior a amperagem é necessária para abastecer os itens. Nesses modelos mais completos pode ser necessária a instalação de uma bateria de 50 ou até 80 amperes.

NUNCA FIQUE LONGOS PERÍODOS SEM LIGAR O CARRO

Basta alguns dias sem ligar o carro e você já percebe uma resistência na bateria do carro ao tentar dar a partida. Isso acontece porque quando o veículo fica muito tempo parado, pode levar a bateria a descarregar, além de ocorrer um processo químico conhecido como sulfatação.

Por isso, mesmo que não precise rodar com o carro, procure sempre ligar a bateria e deixar o motor funcionando mesmo que por 10 minutos regularmente. Se for o caso de deixar o veículo sem uso por longos períodos de tempo, o recomendado é desligar os terminais dos cabos das baterias, a fim de evitar a descarga precoce da bateria.

SEMPRE DESLIGUE TODOS COMPENENTES ELETRÔNICOS ANTES DE DAR A PARTIDA

A bateria é mais exigida durante a partida do motor. Portanto, é prudente desligar itens elétricos não necessários. Evite dar a partida com faróis e outras luzes acesas, bem como ar-condicionado e central multimídia. Essa sobrecarga prejudica a bateria do carro diminuindo a sua vida útil.

E quando estiver parado, não abuse dos itens elétricos com o motor desligado. Equipamentos como: som, luzes internas, ar condicionado, central multimídia e outros, usam muita energia e podem acabar descarregando a bateria do carro inesperadamente.

Leia também: Saiba quais são os tipos de faróis e quando usá-los

TENHA CUIDADO COM OS ACESSÓRIOS ELETRÔNICOS

Preste atenção nos acessórios eletrônicos como rádio, alarme, rastreadores e componentes elétricos e eletrônicos que nunca ficam desligados – como a central de injeção – e são aparelhos que possuem a chamada corrente de stand by. Esses componentes puxam energia da bateria quando o veículo está desligado.

No caso dos rádios, uma dica simples que ajuda a evitar o desgaste é retirar a frente destacável do aparelho sempre que sair do veículo.

Utilizar peças originais é a principal dica para que a corrente stand by não descarregue o acumulador. E, antes de instalar novos acessórios, verifique a capacidade máxima da bateria e do alternador.

MANTENHA OS TERMINAIS LIMPOS

A maior parte das baterias já saem de fábrica com capinhas para proteger os terminais negativo e positivo, caso contrário, quando em contato com objetos metálicos ou condutores, pode gerar fuga de carga, faíscas e até curto-circuito. As capas também são vendidas separadamente.

Mantenha os terminais limpos para evitar oxidação, que pode ser corrigida com uma mistura de água com bicarbonato de sódio, esfregada nos terminais cuidadosamente até remover todo o resíduo.

É importante lembrar que essa limpeza deve ser feita com os terminais desconectados corretamente (desconecte primeiro o lado negativo e depois o lado positivo), secando-os antes de conectá-los novamente na ordem inversa (primeiro o lado positivo e depois o lado negativo).

EVITE O DESGASTE EXCESSIVO DE OUTROS COMPONENTES

A bateria faz parte do sistema elétrico do carro. Seu desgaste excessivo prejudica o funcionamento de todo o sistema, trazendo prejuízos que podem se tornar altos.

O alternador, por exemplo, é responsável por converter a energia mecânica, do movimento do veículo, em elétrica, armazenada na bateria. Isso acontece a partir de polias e correias, que vão precisar trabalhar mais para enviar uma mesma carga para uma bateria que está com desgaste excessivo.

Uma boa prática é verificar o desgaste tanto do alternador em si quanto das polias e correias a cada 6 meses. Caso o alternador quebre, é impossível dar a partida no veículo. O alternador mantém a carga da bateria a partir do movimento do motor a combustão.

EVITE A DESCARGA COMPLETA

Se possível, nunca deixe a bateria ficar totalmente descarregada, pois isso “força” o componente e pode comprometer sua capacidade de reter eletricidade. Se isso acontecer, e você estiver disposto a pagar, invista em um auxiliar de partida, que provê uma carga extra para dar a partida no motor. A famosa “chupeta” não é recomendada em carros mais modernos por conta do risco de queimar módulos ou resetar outros componentes elétricos.

Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre carro elétrico

Agora que você já sabe como prolongar a vida útil da bateria do carro, comece a cuidar da peça para que não fique sem ela! E lembre-se: carro que anda mais prolonga a vida da bateria.