Quem nunca se perguntou se é seguro passar CPF e data de nascimento para simular um financiamento ou um seguro? Essa é uma dúvida legítima e um risco que pode sim comprometer sua saúde financeira. Vamos entender por quê!

Todo dia, a todo o momento, nossos dados são solicitados, e não raras vezes ficamos inseguros quanto ao fornecimento dessa informação. Até porque a quantidade de golpes é na mesma proporção ou até maior do que a quantidade de vezes que somos demandados. Existem sim situações de risco, por isso é importante conhecê-las para poder avaliar quando é seguro passar CPF e data de nascimento.

Leia mais: Seguro Automotivo: Confira o que mudou nas normas

Por que as empresas solicitam CPF e data de nascimento?

Existem várias situações em que empresas e comerciantes pedem nossos dados. Para situações como compras online, financiamentos, seguros e contratações de serviços é necessário o fornecimento de algumas informações tanto para checagem de crédito quanto para a confirmação de se tratar do próprio contratante.

Essas informações também são usadas pelas empresas para efeito de cadastro, conferência, emissão de nota fiscal e entrega do produto no endereço. Além disso, vários serviços sociais prestados pelos órgãos públicos hoje já estão disponíveis online e para adesão também é necessária a confirmação dos dados do requerente.

Além de compras pela internet, o CPF pode ser exigido em compras por atacado para que seja feito o controle de vendas e fiscal. Bem como no caso de compras à prazo e na emissão de cheques para fins de análise de pendência financeira.

Leia mais: Cartão de estacionamento para idoso: o que é, onde e como pedir

Por que são necessários os dados pessoais em um financiamento?

Muitos bancos, financeiras e outras empresas oferecem serviços de empréstimo e financiamento feitos pela internet. Todo o processo é digital, com o usuário enviando seus dados (incluindo o CPF) para análise de crédito e elaboração do contrato. Nessas situações é seguro passar CPF e data de nascimento, pois é a mesma coisa de fornecer seus dados para o banco presencialmente. As empresas assumem cuidados de segurança para manter as informações seguras em seus bancos de dados.

No caso de um financiamento de carro, por exemplo, as informações pessoais são essenciais para verificar a viabilidade da operação. É com base nesses dados que a instituição pode consultar o histórico pessoal e analisar as condições que podem ser ofertadas para o cliente, procurando um cenário que seja vantajoso para ambas as partes.

Clientes com histórico de endividamento e nome negativado, por exemplo, não conseguirão propostas muito atrativas porque representam um risco para a financiadora. E essa informação só pode ser adquirida com uma consulta com o CPF. Sendo assim, como é do interesse do cliente esse é um dos casos em que é útil informar o CPF e data de nascimento. Caso contrário, será impossível prosseguir com o processo para obter uma simulação de financiamento.

Leia mais: Check list veicular: veja o que você não pode negligenciar

Por que nem sempre é seguro passar CPF e data de nascimento?

Se as empresas precisam de nossas informações para vendas ou prestações de serviços, por que nem sempre é seguro passar CPF e data de nascimento? Primeiro, porque nem sempre são empresas corretas que estão interessadas em nossos dados. Segundo, porque até mesmo empresas honestas podem sofrer vazamentos ou invasões deixando seus clientes vulneráveis.

A partir da publicação da nova Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) a exigência do CPF no ato da compra ficou configurada como coleta de dado pessoal, então, os estabelecimentos deverão se adequar às normas legais que visam proteger os direitos do cidadão.

Logo, empresas comprometidas com seus clientes estão investindo fortemente na segurança de dados para evitar o segundo cenário. Mas, quanto ao primeiro cenário, fica a cargo do consumidor avaliar a empresa que está solicitando a informação.

Isso porque dados como CPF e informações complementares são fundamentais para aplicação de golpes digitais como clonagem de contas em bancos, clonagens de cartões de crédito, compras de produtos ou até mesmo contratação de financiamentos.

Como saber se é seguro passar CPF e data de nascimento?

O primeiro passo para verificar se é seguro passar CPF e data de nascimento é verificar a procedência da empresa. Para isso será necessário pesquisar a marca e, principalmente, o CNPJ fornecido pelo representante. Algumas marcas são fortes e já conquistaram confiança no mercado, se puder, opte por elas!

Procure saber se a empresa investe em segurança de dados. Num mundo cada dia mais digital, os riscos crescem na mesma proporção que as facilidades. Empresas que estão habituadas a trabalhar em ambientes virtuais sabem a importância em investir em ferramentas de segurança digital e fazem questão de informar seus clientes sobre isso.

Mesmo confirmando a procedência da empresa, só faça a comunicação por canais oficiais. Caso esteja no site, veja se o endereço eletrônico é da empresa mesmo ou se é uma falsa. No WhatsApp ou telefone, só informe os dados se tiver certeza que aquele número é oficial e se foi você quem iniciou o contato.

Uma boa forma de atestar a credibilidade de um site é observar se há aquele ícone de “cadeado” na URL da página, naquela caixa onde você digita www e o endereço do site. A presença do ícone é sinal de que a empresa usa um protocolo de segurança para criptografar os dados e mantê-los seguros. Assim, nenhum hacker pode interceptá-los. Caso contrário, suas informações podem estar em risco.

E acima de tudo, desconfie! Como dizem os antigos: não existe almoço grátis! Onde a proposta é muito tentadora e as vantagens são muito mais lucrativas para você do que para quem está ofertando, suspeite. Bem como, desconfie de brindes ou prêmios inesperados que pedem o preenchimento de um formulário.

Como vimos, os riscos de repassar seus dados não são pequenos, por isso você deve seguir nossas dicas para garantir que é seguro passar CPF e data de nascimento quando estiver cotando um seguro ou simulando um financiamento de carro, por exemplo. A boa e velha prudência nunca sai de moda!