O sistema de frenagem é um dos principais elementos de segurança do seu veículo. Fique atento ao menor sinal de mudança no pedal do freio, pois este é o primeiro sintoma de que algo está errado.

O primeiro passo para um sistema de freio em pleno funcionamento é manter as manutenções preventivas em dia. Tanto as revisões periódicas do veículo, quanto as manutenções preventivas especificas de cada sistema são fundamentais para a sua segurança, bom como para conservação do seu patrimônio.

Ainda que você esteja em dia com os cuidados preventivos, eventualidades sempre podem acontecer, além do desgaste natural das peças e sistemas decorrente do uso periódico do veículo. Por via de regra, quando uma peça está danificada todo sistema começa apresentar pequenos sinais de falha. Um pedal de freio duro ou muito fundo é indício de problemas no conjunto de freios, por exemplo.

É fundamental que você procure identificar e resolver os problemas logo que apareçam os primeiros indícios, assim você evitará situações de risco extremo e gastos ainda maiores com manutenções corretivas. Afinal, você consegue imaginar as dimensões de um acidente por falta de freio? Melhor nem pensar nisso!

Leia mais: Como identificar problemas no sistema de suspensão?

Entendendo o sistema de frenagem

O pedal do freio duro ou muito baixo é sinal de problema no sistema de frenagem, uma vez que esse elemento faz parte do conjunto de peças e equipamentos responsáveis por parar o carro sempre que necessário.

A função do sistema de freios não é a de parar deliberadamente o carro, mas sim de reduzir a velocidade da roda, o que exige uma grande força e bom funcionamento de todo o sistema, constituído basicamente de sete partes.

Fluido de Freio: são óleos desenvolvidos especialmente para rodar nesses sistemas, é muito importante que apenas esse tipo de óleo seja utilizado nos freios, pois oferecem as condições necessárias para a transferência da força da frenagem para as rodas.

Cilindro Mestre: é responsável por levar o fluido de freio até os pistões localizados nas pinças ou tambores de freio, possibilitando que o fluido seja enviado com a pressão necessária para imobilizar o carro.

Disco de Freio: essa é a peça que recebe a pressão das pastilhas e das lonas para criar a fricção que desacelera o carro, modelos mais antigos utilizam tambores.

Pedal do freio: é a parte que fica diretamente em contato com o motorista e serve para acionar o sistema de freios.

Servo freio: o hidrovácuo aqui serve para reforçar a quantidade de força do pedal do freio e ajudar a transferir essa força para todo o sistema do automóvel, facilitando a frenagem para o motorista e a tornando mais agradável, menos brusca.

Pastilhas: as pastilhas e as lonas são responsáveis pela fricção necessária para desacelerar o carro. São feitos de um material especial que deve aguentar toda a pressão e atrito gerados pela frenagem, especialmente as mais violentas.

Canos e mangueiras: também são utilizados para atuar nos freios e segurar a pressão e atrito gerados na frenagem.

Para que todo o sistema funcione de maneira sincronizada, é preciso que haja um atrito nas rodas quando o motorista pisa no pedal de freio, reduzindo a velocidade do carro. Isso ocorre quando a força da pressão que fazemos no pedal passa para o servo freio e, em seguida, para o cilindro mestre. É ali que fica o fluido de freio. Com o acionamento dessa engrenagem, uma pressão hidráulica é formada, comprimindo as pastilhas e as colocando em atrito com o disco. Isso é o que faz com que as rodas parem de girar.

Leia mais: Dicas para aumentar a vida útil da bateria do seu carro

Problemas no pedal do freio

PEDAL DO FREIO DURO

O pedal do freio deve ser suave e de pressão contínua. Quando ele está duro, isso pode causar diversos problemas ao motorista e ao veículo. Algumas causas que fazem o pedal do freio ficar duro são problemas no freio, material de atrito com baixa qualidade, entre outros.

Mais pontualmente, o pedal do freio duro é indicador que o multiplicador de forças ou servo freio não está em boas condições. Pode ser um problema de estanqueidade da mangueira, que liga o servo freio até o motor, ou as câmaras do servo freio sem vedação, entre outras causas.

Na grande maioria dos casos, o defeito está no servo freio. Também chamada de hidrovácuo, essa peça tem a função de amplificar a força que você aplica no pedal do freio, para torná-lo mais eficiente.

Quando há falha, o pedal de freio duro, pesado. O carro até irá parar, mas você tem que pisar com muita força no pedal do freio e, possivelmente, percorrerá uma distância muito maior até ele parar completamente.

Atenção, o pedal pesado também pode ser provocado pela baixa qualidade dos materiais usados nas pastilhas de freio. Ou ainda, em casos mais raros, quando existe um vazamento do diafragma do servo-freio.

PEDAL DO FREIO FUNDO/BAIXO

Quando o pedal fica baixo, ou seja, chega a tocar o assoalho, o problema pode ter duas causas. O mais provável é um desgaste dos componentes do freio, ou seja, as pastilhas se desgastaram ou as lonas traseiras tiveram sua espessura muito reduzida provocando, portanto, esse aumento do curso do pedal. Nesse caso a solução é substituir o elemento com desgaste.

Porém, a causa pode ser mais complicada: pode se tratar de vazamentos no cilindro mestre, nas tubulações rígidas ou flexíveis, na pinça de freio ou no cilindro de roda. E, neste caso, se o carro não for imediatamente levado para a oficina, ele pode perder a metade ou então, olha o perigo, ficar completamente sem freio.

Leia mais: Cambagem: como é o procedimento polêmico que entorta o seu carro

Esteja sempre atento ao funcionamento do seu carro, qualquer mudança é sempre sinal de que algo não está funcionando como deveria. Fazendo as revisões e manutenções preventivas você evita grande parte dos problemas, mas ignorar um barulho ou comportamento diferente pode custar caro!